BEM VINDAS

QUEM GOSTA DE MAMAS

Mostrar mensagens com a etiqueta vinho. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta vinho. Mostrar todas as mensagens

sexta-feira, março 10

Tchim Tchim. ..

Quero que sejas todinha
todinha só para mim
começo meio tchim tchim
por tchim tchim 
com todos os defeitos
juntos os teus e os meus
no trajectos mais adversos
de mulher lua ou menina rua
no meu poema sem rima
minha canção com doação
quero que sejas todinha
todinha para mim
minha cara metade
minha mãe minha irmã
minha filha
minha ilha feiticeira
cercado de risos teus
em tons de rosa tinta
todinha para mim
mulher amante jardim
meu vinho tinto
brindando tchim tchim. ..

by mghorta 


sábado, fevereiro 25

Preferências!


É impossível fazer coisas certas
se as erradas é que me fazem feliz,
prefiro ser feliz por engano
que triste por preferência. 

by mghorta 


terça-feira, dezembro 27

Ai que Rico Vinho!



É coisa que consumo
tanto branco como tinto,
responsavelmente assumo
falo a verdade e não minto. 

Moderadamente não faz mal,
depois de fermentado
não tem outro igual
na boca até faz estalo.

Do bom até dá gozo beber 
seja branco ou tinto
à gente que não o quer esquecer
digo a verdade e não minto.

Rimados frente ao copo no momento,
Martinho Horta dava um bom autor
com o peso do grau no pensamento
nem é preciso ser doutor.

by mghorta


terça-feira, julho 5

Quem Sou!


Perdi minha identidade, 
de cavalheiro e de homem,
vesti-me de mil fantasias,
perdido nos desejos como de beijos,
inocente por vezes,
malicioso a tempo inteiro,
apaixonado tantas vezes,
carente de muitas caricias,
desejado bem como odiado,
sou o que sou e por vezes 
o que querem que eu seja,
homem ou garoto,
querendo mandar e não dominado,
transformado em outro ser,
não sei a minha própria identidade,
perdi a felicidade
em querendo saber quem sou!

by mghorta


terça-feira, dezembro 30

Gozo.



Teu corpo inebria-me,
envolto em magia,
como que me invadindo.
Odor que me Embriaga,
sabor que afaga,
colocas.me ao avesso.
Teu corpo me abrasa,
carinho assanhado,
faz-me enlouquecer.
Ao deleite me entrego,
sem razão não me nego,
quero-o desfrutar
sorver dele Gozo,
saciar o apetite,
mordiscar teu pescoço,
perdendo os limites,
embriagado Morrer!

by mghorta

Ébrio !



Perder-me
Nas curvas
De teu corpo
É reencontrar
Estado ébrio
De espantoso
Embriagante
Gozo.

by mghorta

sábado, dezembro 20

Burlesco.



Há tanto homem errado,
tanta infelicidade junta,
homens sedentos,
tudo experimentam,
até burlesca miséria. 

terça-feira, dezembro 16

Vamos brindar?



Colado em teus lábios,
tua saliva escorre em mim,
decifrando Mapas,
cantos descobertos,
gritos coloridos,
de prazeres entesuados.

by mghorta

sexta-feira, novembro 28

A Taça.



Eu quero tanto,
que ao olhar a Taça,
vi meu rosto desejando
beber puro Néctar dos deuses.

by mghorta 

sexta-feira, novembro 14

Harém.



Entregues à luxuria,
inflamados de tesão,
gulosos inebriados,
cheiros fortes no Harém.

by mghorta  Lambuza-te

quarta-feira, outubro 29

sábado, outubro 25

Mamas servem bebidas.



No Japão. país que nos surpreende com algo sempre de novo, desta feita apresenta-nos bonecas 'ultrarealistas' como servidoras de bebidas à mesa, excepcional para eventos, festas, convívios e até mesmo em casa de qualquer solteirão, ou Titias de Cascais.

Os usuários destes eventos usam as mamas para servir bebidas, bastando apalpar com jeitinho até encher o copo, não só se delicia bebendo bem como fica com a sensação de Tesão na mão com a particularidade de serem tão semelhantes com mamas de verdade.

Tem duas versões, feminino para meu gosto, masculino para as minhas amigas aqui no MamasàSolta.

O preço, uma ninharia para qualquer bolsa de cidadão português, cerca de 5 mil dólares (3.900€).

Deliciem-se com o video; 



sábado, outubro 4

Heresia.



Tomai e comei, este é o meu corpo
tomai e bebei, este é o meu sangue
que por vós me entrego.

Tomai e bebei...





Derrama o vinho no teu peito
molha-te, eu lambuzo e deleito-me
faz como que desses banho ao gato
para que possa lamber-te 
de frente,  lado ou de quatro.

by mghorta


terça-feira, abril 15

Roupas no chão!




Sentado observo,

teu corpo de violão,
bebo vinho tinto,
desejando tuas roupas no chão.




Olhar penetrante,

corpo de tesão,
sorris maldosamente
desejo tuas roupas no chão.




Somos uno,

corpos vulcanizados,
entrelaçados com gozo,
jogas tuas roupas no chão.




Do virtual passou a real,

deixou de ser canção,
luxúria e pecado,
desejo tuas roupas no chão.

by mghorta




sábado, fevereiro 15

Vinho por companhia.


Vinho, bebidas, fado e músicas tristes por companhia na minha solidão, passei a ter a sensação de que, mais dia menos dia passarei de sóbrio a louco, tudo porque não consigo escutar meu coração, não percebo o que ele diz desde passei a segundo plano na tua vida.
Certas vezes penso que amo, outras encontro o vazio da alma, sinto na frente o abismo e queda.
Momentaneamente fico feliz quando ainda recordo momentos, outras vezes sinto-te distante, fugindo no horizonte e dou por mim divagando e suscitando perguntas sem serem respondidas.
Fico confuso, ambíguo, assustado e medroso com este turbilhão de dúvidas quanto ao futuro e aos sentimentos que expresso e senti quando juntos de mão dada fizemos promessas.
Queria voar mas dou por mim sem asas, já não sei se amo, não sei quem amo, não sei realmente se sei o quer dizer a universal palavra AMAR.
Tenho medo, meu interior bambaleia ao sabor ébrio das palavras que ficaram por dizer, pelas promessas que escrevemos, isso é duro e dói o suficiente para desistir da corrida promissora numa terra prometida que seria o nosso Éden.
Estou tão fora de mim que até as palavras que não irás ouvir, planos e sonhos que tu nunca irás ou saberás um dia a certeza, no entanto se falo ou me calo, se início ou até mesmo termino... NÃO ME PERCEBO.

my mghorta





~
De EROS



sexta-feira, novembro 1

Marcado por cicatrizes..

.
... sou eu no rosto e no coração,
meu quadro  é uma borrada,
por mais que eu tentasse driblar a vida,
ela me brindou de uma forma que nem mortal,
podia ser poema, poesia ou texto,
mas na verdade sou um ser víral ...

Na sensibilidade de mortais,
fico oco, vazio e duro,
não quero que me vejas na dor,
mas procura-me na primavera,
pois nela está a satisfação e gozo,
mesmo que isso seja mural e paisagem.

Há um pássaro em mim, 
ansioso de partir,
entre álcool e festas,
inalo o fumo de outros, 
como sonhos esfumados,
nem mulheres de vida, 
nem merceeiros de bares,
me seguram em sonhos...

Minhas cicatrizes nuas,
marcadas pelos anseios ferozes,
nunca saberão a ira e furor,
que meu pássaro ferido chora...

Sou duro para com ele,
nas dunas da vida fazem viragem,
porque os momentos vividos, 
sobejam e dobram os sinos,
para que de novo na Sé sem miragem,
os corpos se encontrem dobrados...

Meu pássaro escondido,
não me arruínes nem me fodas,
porque na esquina das coxas,
tens algo que desejas e te espera ansiosa,
relembrando os segundos e horas de tesão nas dobras...

Meu pássaro escondido,
não chores nem lamentes,
acredita que tem mentes,
que além de profanas e desalentas,
te desejam e ferozes te acalentam...

Cicatrizes minhas e profanas,
poetiza em silêncio 
porque a dor se vai, 
não me fodas, 
antes... 
acalenta meu ego e sara minhas cicatrizes...

by mghorta



VOLTE DE NOVO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...