BEM VINDAS

QUEM GOSTA DE MAMAS

domingo, junho 18

Dever até Quando?

Avaliando, mesmo quando o dever chama,
esperando o amor premeditado e prometido... 
Se é que ele existe, onde estará escondido?
São estas as dúvidas de quem ainda Ama.

Esse Amor já fez de mim um prisioneiro,
recluso, réu confesso, vitima por ter dito que amava.
'Eu te Amo', disse-o, confessei, apalavrei...
Talvez o meu erro foi o ter dito primeiro!

Traído pela minha insegurança,
maltratado pela minha paciência,
torturado pela própria consciência,
magoado pelo Amor que não se cansa.

'O Amor é paciente', esperarei então,

'O Amor suporta', suportarei a espera.
Amando, terei forças para esperar
deixando as mágoas da negação.

Rolam as horas da espera desesperado,
esperando em aflição meu julgamento.
Entretanto e com pena minha atormentado
pela solidão a que fui sentenciado por Amar.

by mghorta 


quarta-feira, abril 26

Freira Feliz.

Freira coloca pénis no selim de sua bicicleta e pedala para sua satisfação, aprenda a fazer como ela e seja feliz. 




terça-feira, abril 4

Tele-Transportado!

Como quem partilha o saborear de um vinho,
como quem partilha o sabor de frutas,
como quem soletra os sons de musica,
como quem respira o perfumado corpo,
como quem desliza mãos pela pele aveludada,
como quem olha o corpo curvilíneo sexuado,
como quem saboreia os beijos dados,
eu queria estar naquele momento na Lua
nessa Lua sensual onde ela mora!

Por fim e nesse preciso momento eu estava lá,
tele-transportado como matéria destinada.
Mas do que vale a matéria sem  sentimento?

by mghorta  



terça-feira, março 21

Desenvergonhada Anónima!


Ó minha desenvergonhada
teus sovacos selvagens
como ramalhete floridos
em cama acetinada aluada
meu sonho é adormecer
nessa vasta cabeleira
depois de aliviar o tesão.

by mghorta


quarta-feira, março 15

Nada é Como Antes!


Acordo sozinho
no meu quarto escuro
pela janela vejo luzes lá fora
porta meia-cerrada
luzes apagadas
aos poucos acostumo-me
à solidão ao silêncio
respiro ofegantemente
meu coração fica surdo
o frio é brando. ..
desmaio entretanto!

O tempo corre depressa
cresce a barba
teimo em escrever
tretas da vivência
chorando lembranças
vejo meu corpo mutando
vejo meu corpo lutando
tento acordar
mas que sonho merdoso!

Acordo sozinho
estou plenamente sozinho
minha alma vagueia pelos cantos
minha pulsação silencia-se. ..

Mas que tortura a minha
física ou psicológica
é aquela que possuo
nada é como antes
perdi as forças de antes. ..
Choro!
Morro nos entre-tantos!

by mghorta


sábado, março 11

Talvez!

Talvez um dia deixaremos de ser dois estranhos e passamos a ser dois conhecidos, talvez um dia passamos a ser mais conhecidos:

  • Amantes
  • Cúmplices
  • Comparsas
  • Compinchas
  • Companheiros de crimes de cabeceira
Hoje somos apenas poeira de momentos momentosos,

como tudo na Vida metafórica tudo muda,
verdades constantes.

by mghorta



sexta-feira, março 10

Tchim Tchim. ..

Quero que sejas todinha
todinha só para mim
começo meio tchim tchim
por tchim tchim 
com todos os defeitos
juntos os teus e os meus
no trajectos mais adversos
de mulher lua ou menina rua
no meu poema sem rima
minha canção com doação
quero que sejas todinha
todinha para mim
minha cara metade
minha mãe minha irmã
minha filha
minha ilha feiticeira
cercado de risos teus
em tons de rosa tinta
todinha para mim
mulher amante jardim
meu vinho tinto
brindando tchim tchim. ..

by mghorta 


quinta-feira, março 9

Primavera.

Teus olhos verdes lembram-me
cores paradisíacas de Primavera,
os frutos frescos da estação,
neles colhendo morangos e maçãs.

Na boca bebo o suco das laranjas
e das amoras em longos beijos,
as mãos percorrendo no teu peito
com framboesas cristalinas,
acariciando teus seios cuidadosamente
para não macular e que sejam firmes
sedosos e brilhantes. ..

Colhida a fruta fresca,
que me serves a bom tempo
na selva temporal dos actos
no teu cálice sagrado umbilical,
por fim adormecemos exaustos,
saciados e abraçados. ..

by mghorta


sexta-feira, março 3

Tentação.



Não te vejo mas sinto que me espreitas, entre a folhagem do meu Paraíso, rodeias-me com a ternura do teu olhar, sinto o pulsar do teu coração, sinto o calor das tuas mãos, cheira-me a coco a tua pele e sei as sensações que tua presença me provoca.
És a tentação que me desafia a cada momento improvisado, fazes do meu jardim um Éden, quando deixas teu perfume solto no ar como demarcando teu o meu território, quando deixas de espiar os meus pensamentos insanos como que apressar os momentos para que nosso abrigo seja uno.
Sei onde estás mas continuo escrevendo entre linhas mastigando minha loucura de pensamentos históricos que não confesso até que me apresso em que se tornem em nada.
Sereno, sozinho e tranquilo na minha quietude vou deixar que me descubras lentamente.

by mghorta


sábado, fevereiro 25

Labirintos.



Viver,
sorrir,
viver, sorrir e Amar. ..
São como labirintos dos desejos, 
sentimentos, momentos e
e histórias dos mortais
que se humanizam quando:
- Uma lágrima insiste em apagar um sorriso,
quando o amor de sua vida num gesto solidário
e poético lhe devolve esse sorriso. ..
Sorriso esse na tentativa desenfreada para querer
compreender que na vida desejamos passar
serpenteando nos labirintos para encontrar
uma mão amiga com um abraço solidário
que devolva novamente a esperança de viver,
tudo nessa vida vale e valerá sempre a pena!

by mghorta


Sou Um!

Não, não sou mais um. .. sou Um!
Não, não tentem encontrar em mim aquilo que não possuo,
não, não vivo de aparência e nem sequer vivo para agradar,
vivo sentindo e fazer sentir,
nasci macho, Cresci Homem.

by mghorta 



Preferências!


É impossível fazer coisas certas
se as erradas é que me fazem feliz,
prefiro ser feliz por engano
que triste por preferência. 

by mghorta 


Reinventar a Alma.



Foi quando organizei
minha casa da Alma
conseguindo abrir espaços
para meus anseios.
Tinha os meus fantasmas
que apenas não eram só meus,
carregava coisas que 
não me serviam mais.
Abandonei Incertezas,
procurei caminhos
som leves contornos,
coloquei a Alma ao avesso
para secar ao Sol da manhã!
Limpei os escombros desarrumados 
por temporais de pesadelos que não criei.
Espalhei meus braços,
finquei minhas raízes,
ganhei tronco e membros,
por fim. ..
Reinventei-me
e cá estou de Alma Nova.

by mghorta 


domingo, fevereiro 19

Eternando. ..


Brotando floreado esperando em mim
melodia maviosa refreada no leito
soprando sonegadamente no peito
renovando chama de afecto sublime.

For-tecendo sentimentos de outrora
no ciclo de vida nunca suprimido
noites vitoriadas nos lábios exprimidos
dias com estrofes magníficas na aurora.

Flagrante delitos que nos unem
nas índoles ternas assumidas
eternando num promissor futuro.

As almas sorrida-mente se integram
tal como crianças diante aos doces se alegram
eternando um amor singelo, 
comprometedor e puro.

by mghorta







Mora em Mim!


Caso não seja 
pedir muito fica. ..
Para o almoço
para o café
para o diálogo
para jantar
para. ..
para dormir
para acordar
fica aqui
mora aqui
mora em mim. ..

by mghorta



Leal mas Feio!


Fui sóbrio, leal mas feio,
e tu bela, frágil e assustada,
desejei estimar-te encarecidamente
numa existência limpa e honesta.

Sentado à mesa de uma taberna
avistava-te fraca, ruiva e simples
num antro vil e devasso,
só queria mesmo era um abraço. ..

Feio e miserável me socorreste,
bebia em copos grossos
porque cristal e absinto
foi passageiro em mim quando saudável.

Olho-te em porta de correr,
sinto inveja desse desenrolar,
vestes simples sem enfeites
postura de mulher imaculada.

Adorada mas natural,
leste meus pensamentos feios
num lugar barulhento e aterrorizado
mas sempre com espaço para amar.

by mghorta


Vendaval de Amor!


Um vendaval fazia lá fora
ventania soprava forte
relâmpagos iluminavam as trevas
trovoada ecoava longe mas ouvia-se perto. ..





























Natureza brigava vivamente
nada comparado
aos lençóis desalinhados
cobrindo corpos suados. ..







Amavam-se apaixonadamente
com desejos penetrados
eram uno, eram uma só alma
embora fossem dois corpos. ..



Estavam criando um vendaval
na própria cama e a tormenta
era tão lampejante e ruidosa
afogando-se em promessas de amor.



by mghorta 

sexta-feira, fevereiro 17

Imprevisível!


Imprevisível  foi o toque,
a procura 
e a consumação da loucura
transformando nós dois
em um. ..
Nada foi comum,
tudo foi vital
viral e anormal. ..
Dentro desta nossa normalidade
contida em actos,
imprevisível  foi o tacto
de nossos braços enrolados,
tudo. ..
o corpo todo
sentindo a gula
nas entranhas
nas loucas manhas
de uma madrugada_festim. ..
Imprevisível
tactear-me em falso
para sentir-te plena
e inteira em mim.

by mghorta 


Sonhos!



Existem sonhos,
que só eu sei
sonhar contigo!
O que faço,
senão te possuo mais?
Onde os guardarei. ..
todos os sonhos
que ambos jurámos eternos!? 

by mghorta 



quarta-feira, fevereiro 1

Ela e Ele!


Ela assiste. ..
Ela estuda. ..
Ela contempla. ..
Ela espera. ..

Ele foi feito na plenitude dos desejos. ..
E ele. ..
Destinado a ela por inteiro. ..
Com todos os sentidos. ..

by mghorta 


Preciosidade.


De modo tão precioso
que devo mostrar
e nunca o guardar
com a sensação de roubado:
- colhões tão lindos!
Faz o que quiseres deles,
quanto a mim dou graças
pelo que sei e não perdoo
que tantas neles mordeu.


Moralista.


Entre o desejo e o medo
de perdas irreparáveis,
o moralista e seu dedo
tornaram-se inseparáveis.

by mghorta



Tesão!


Fidelidade
é sempre dizer
a verdade
e tu já o devias saber
que és a minha única paixão
e estás tão além da simples Tesão.

by mghorta



domingo, janeiro 29

Objecto Precioso

De tal ordem e precioso
o que te devo dizer
que não posso guardá-lo
sem a sensação de roubo:
- Gémeo lindo!
Faz o que puderdes com esta dádiva,
quanto a mim dou graças
pelo que sei que meu gémeo
será teu um dia se aprovares
e mais te perdoo Amor.

by mghorta


VOLTE DE NOVO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...