BEM VINDAS

QUEM GOSTA DE MAMAS

quarta-feira, maio 27

Arquitecto sem Juízo.



Na arquitectação de um soneto,
nas quadras versadas de harmonia,
tentam eles rimando com preto,
sejam de noite ou dia com alegria.

Nos rostos começam os estrofes,
beiços para cantarolar e com peito,
espelhados de no preto perfeito,
remando no mar ao estilo regabofe.

Descendo às coxas e joelhos,
acariciando o negro aço dos pentelhos,
fazendo duro e liso o mastro tesudo.

Quando notou que ia fechar o soneto,
já com dois palmos de caralho preto,
lá foi o arquitecto perdido de juízo.

by mghorta


Saliências...


Saliências começam do joelho para cima,
saliências começam do umbigo para baixo,
saliências são constantes e nunca findam.

by mghorta

sábado, maio 23

Meretriz!


Na tua sublime pose Leila,
deusa que pousas em mim!
Serpente das ruas,
toma-me e possui-me!
O mestre oculto, diabo
prospera no lodo da vida,
pisa com o pé aqui acolá
meu coração profano.
Na mancha de tua sujeira,
Leila sou tua vergonha,
rabiscas nomes na vida,
acalentas a Besta.
Com o suor de teus actos,
cospes em mim escarlate,
boca de meretriz!
Corres jorrando ocasião,
com tua urina quente 
untas meu corpo profano,
deixando-me no abismo,
quando deixas de derramar!

by mghorta

Devassidão!


Não! 
Não ouses me perguntar,
escrevo porque sinto,
desejo da tua carne,
tens cheiros fortes,
intensa fragrância a sexo.
Com meu olhar te dispo,
com ele quero te seduzir,
nele sente meus abraços,
vem me toma teu,
com toda a violência,
esquece a devassidão
e escorrega pelas minhas mãos.

by mghorta

Devassidão de ZiZa

sexta-feira, maio 22

Amor é Tudo.


Tinhas toda a razão,
amor é prazer 
amor é  diversão,
com conteúdo,
amor é tesão
amor é profundo
Amor é tudo.

by mghorta

Chocolate



No leite derramado,
com passas e crocante,
puramente derretido,
santo ou pervertido,
recheado e excitado,
saboreia-me,
morde-me,
seja dos cabelos ao pés,
lambuza-me todo,
fina arte misturada,
transformo-me em êxtase,
com teu veneno,
és arte extrema,
tiras-me da melancolia,
com a tua sodomia,
a mesma que me vicia.

by mghorta

Devaneios



... Ouvir-te
... Sentir teus beijos
... Sentir calor dos teus abraços
... Sentir os odores de nossos cheiros
... Sentir que nossa paixão não tem preço
... São devaneios nossos.

by mghorta

segunda-feira, maio 18

Recuso-me a Escrever. ..


. .. e passar aos factos.


















O Padeiro!



Como o padeiro faz pão,
não é obrigado a saber canção,
na falta de cacete,
vai mesmo com o dedo da mão.

by mghorta    (Mete o Dedo)

segunda-feira, maio 11

VOLTE DE NOVO

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...